• MINHA CONTA
  • FALE CONOSCO
  • NEWSLETTER
X

Já sou cadastrado

Ainda não tenho cadastro

CADASTRAR
X

    Entre em contato com a FAS





    Telefone: 11 3086-1661 | WhatsApp: 11 94713-9743
    [email protected]
    Alameda Gabriel Monteiro da Silva, 413 – Jardim América - CNPJ 00.817.414/0001-08

    Jean-Marc da Costa & Manfred Wolf

    Pós-modernismo, minimalismo, alta tecnologia: a década de 1980 viu o nascimento de serien.lighting.

    Manfred Wolf e Jean-Marc da Costa se conheceram na Offenbach Design Academy e, alguns anos depois, os amigos se tornaram parceiros de negócios: em 1985, eles abriram sua empresa e lançaram seus primeiros designs de produtos no mercado. “Serien – leuchten / mobiliar” foi o nome simples que deram à sua jovem empresa e inicialmente o nome definiu a sua gama de produtos. Embora originalmente produzissem móveis e luminárias, sua afinidade por luminárias finalmente se afirmou. Já em 1986, eles renomearam a empresa “serien Raumleuchten”: eles queriam produzir luminárias exclusivamente como linhas de produtos e o nome da empresa era para indicar isso. A Costa & Wolf criou a sua primeira coleção de luminárias enquanto ainda estudava. Nos meses após a formatura eles produziram os modelos Status, Reflex, Basis, Lift e Quadrat à mão em Rodgau. Na época, o pai de Wolf tinha uma empresa de médio porte que fabricava produtos de metal para a indústria de couro de Offenbach, e os jovens empresários tinham permissão para usar suas máquinas. Eles logo assumiram a unidade de produção e o prédio de tijolos desde então se tornou a casa de força empresarial da serien.lighting.

    Desde o início, da Costa & Wolf teve grande sucesso com sua coleção de designs incomuns criados usando métodos de produção sofisticados: Os designers de 28 anos apresentaram suas criações à Associação Alemã de Decoradores Criativos de Interiores, e alguns meses depois todas as suas luminárias foram firmemente estabelecido em mais de trinta das mais importantes lojas de móveis alemãs. Mesmo hoje, esses projetos iniciais ainda são essenciais para a história de sucesso da empresa. Tendo iniciado com cinco modelos, têm agora uma vasta gama de 50 modelos – luminárias de secretária, de tecto, de parede e de pé. E a cada ano eles adicionam novos designs. As luminárias Serien estabeleceram-se há muito tempo no mercado internacional. A coleção não está disponível apenas na Europa, mas também na Ásia e na América.

    O sucesso duradouro da Costa e Wolf tem muito a ver com a sua abordagem criativa: as luminárias serien são claramente estruturadas na composição, esparsas nos detalhes, transparentes em termos de função, meticulosas no acabamento e escolha do material e exigentes na emissão de luz. E embora as luminárias sirvam sempre o seu objetivo – a iluminação – também são sempre mais do que isso: nomeadamente, distintas e com um estilo altamente individual. O segredo de seu sucesso empresarial repousa, não menos importante, na parceria igualitária entre os dois designers. Por tudo o que eles têm em comum, seus designs são o resultado de discussões – Manfred Wolf e Jean-Marc da Costa mantiveram sua independência criativa, mas sem aderi-la obstinadamente.

    Nos seus primeiros anos, os designs da Costa & Wolf eram frequentemente inspirados em fontes de luz inovadoras ou raramente utilizadas. Na verdade, a fonte de luz não foi a consideração final, mas a primeira – em outras palavras, a forma das luminárias sempre evoluiu a partir da fonte de luz envolvida. Os designers se concentraram nas formas básicas, que, por toda a clareza da composição, relacionavam-se umas com as outras de uma maneira cautelosamente lúdica e buscavam um design aditivo à arquitetura.

    Hoje, a busca por sistemas de classificação formal e composição consistente no design de uma luminária continua a caracterizar a abordagem criativa de Jean-Marc da Costa. A delicada luminária de suspensão Lift (1982) é sua criação e ainda hoje é produzida. Pequeno em tamanho, visualmente transparente na composição e equipado com um tubo telescópico de altura ajustável, o design é mais uma vez derivado da fonte de luz – um tubo fluorescente compacto é colocado em um corpo estreito e fortemente linear da lâmpada de suspensão rígida. Elementos de design individuais, como parafusos, fonte de alimentação e conexões, permanecem visíveis, são centrais para o design e interagem para expressar o caráter estético da luminária. A concepção de design de Da Costa também se reflete na luminária Basis criada em 1985:

    Um vocabulário criativo moldado pelas estruturas também é uma característica dos designs de Manfred Wolf. No entanto, seu trabalho é mais fortemente moldado por uma abordagem lúdica e alegre de uma linguagem de design inspirada em dispositivos técnicos. Um exemplo disso é seu Ventilador originalmente projetado em 1982 e ainda sendo produzido hoje. Apesar de toda a leveza e elegância delicada, ele parece um dispositivo de alta tecnologia – suas partes funcionais constituem o aspecto estético: o motor está exposto e visivelmente centralizado, as lâminas estreitas de aço fino lembram as asas delicadas de um inseto. Esta solução engenhosa foi possível graças à folha de plástico esticada sobre a delicada estrutura de aço.

    Essencialmente, os dois designers permaneceram fiéis ao seu gosto pelas formas básicas de construção e simples. Na procura de uma forma exterior adequada para um determinado tipo de luminária, uma determinada fonte de luz ou uma tarefa de iluminação claramente definida, a Costa & Wolf tem repetidamente apresentado inovações conceituadas. Por exemplo, nas suas duas luminárias de suspensão telescópica Take Five, concebidas em 1992 por Ginbande, e Zoom, criada em 2001 por Floyd Paxton, a empresa criou soluções invulgares não baseadas em modelos formais anteriores e que constituem novos tipos de luminárias. O estilo do Zoom, por exemplo, é modelado na linguagem de design de um tipo clássico de luminária, o lustre. Por tudo isso, a luminária é muito mais versátil do que o seu modelo tradicional:

    Em 1999, Uwe Fischer praticamente concebeu um novo tipo de luminária na lâmpada de pé Jones. Com um estilo simples, Jones reúne vários tipos de luminárias: A luminária de pé pode ser usada como um washlight de teto, mas também como uma luminária de leitura. Além disso, se necessário, Jones pode emitir luz atmosférica e colorida. Tudo funciona graças a um mecanismo altamente sofisticado, mas simples de usar, baseado no interruptor de puxar encontrado em luminárias fluorescentes. Desenhado por Jean-Marc da Costa em 1999, o SML é também uma lâmpada polivalente: Austero, de estilo quase ascético, o design revela-se um sistema modular sistematicamente concebido, cujos componentes são reduzidos ao mínimo. O programa de lâmpadas halógenas tem um estilo uniforme e se adapta a inúmeras aplicações. Juntamente com vários tipos de luminárias e tamanhos, a linha SML também pode ser equipada com diferentes fontes de luz e vidros.

    Minimalista em design, mas altamente versátil, a linha SML é um excelente exemplo da filosofia de design sofisticada dos designers. Da Costa & Wolf aprenderam a jogar de forma brilhante e despreocupada com o meio, o leve. Em 2005, serien.lighting comemorou seu 20º aniversário.

    Com sede em Rodgau nr. Frankfurt, serien.lighting tem uma folha de pagamento de mais de trinta. Além de criar as suas próprias luminárias, serien.lighting também realiza as criações de designers conhecidos, como Uwe Fischer ou Yaacov Kaufman. E desde a fundação da empresa, da Costa & Wolf tem vindo a desenvolver luminárias especiais, digamos, para o edifício administrativo da Altana AG ou para a sinagoga de Colónia. Numerosas luminárias serien receberam prêmios nacionais e internacionais.   

    compartilhar com
    copiar link

    Obras de Jean-Marc da Costa & Manfred Wolf na FAS