“Sofisticadas sem serem elitistas” – é assim que Thomas Schulte, proprietário e diretor da marca, define as coleções produzidas pela Next.

Na contramão das empresas que apostam nas assinaturas de designers consagrados para alavancar suas linhas, a proposta do selo foi acreditar no trabalho de jovens talentos, alguns até então desconhecidos do mercado, para conquistar respeito e expertise.

A decisão foi corajosa, mas provou ser eficiente. Já no primeiro ano de existência da corporação, no Light + Building, em 2000, três de seus produtos conquistaram o Form 2000 – Alemão Crafts Association (Bundesverband des Kunsthandwerks).

Logo depois, numa feira realizada na Bélgica, foi a vez do Liquid Light receber o prêmio de design europeu..

Depois de acertar a parceria com o estúdio Büro für Form e apresentar ao mercado sucessos atemporais como Dicke Trude e Flap Flap, o sonho de Schulte finalmente se tornou realidade.

Neste princípio, a Next equacionou a funcionalidade através de peças cheias de estilo e inventismos, a exemplo da série DNA.

De olho nos projetos comerciais e residenciais, a empresa cintila seu brilho em criações que podem ser vistas na cenografia de grandes espetáculos, na decoração de restaurantes concorridos, caso do espaço de Jamie Oliver, e também no estrelado showroom da da FAS Iluminação.